Faça sua busca
  • segredosdeindigo
    @gmail.com

  • @indigo.ayer

  • @indigo_hoje

  • @indigoescritora

  • /
  • Vida
  • /
  • CARACÓIS CARLO E CAROL 
20 de abril de 2020
400 visualizações

CARACÓIS CARLO E CAROL 

Era uma vez, há pouquíssimo tempo atrás, um casal de caracóis apaixonados. Ele se chamava Carlo e ela Carol. Os dois estavam casados há muitos anos e por isso foram ficando super parecidos. Tão parecidos que às vezes era difícil saber quem era quem. Carlo e Carol viviam no Parque Estadual do Caracol, no Rio Grande do Sul, lá para as bandas de Canela, um lugar perfeito para passeios românticos. Talvez por isso, apesar dos muitos anos de casados, Carlo e Carol continuavam super apaixonados.

Mas no dia em que a Terra parou, o movimento de turistas também diminuiu bastante por lá. De repente, não tinha mais ninguém para tirar foto dos dois. Nem para comentar como eles são fofos e românticos. Nem para fazer declarações do tipo: “Olha amor, que coisa linda! Nós seremos sempre como esse casalzinho de caracóis, né?”

De repente, Carlo e Carol perceberam que por um tempão seriam apenas os dois. Sem turistas, sem fotos românticas, sem interação humana. Só os dois e nada mais. E agora? Será que eles se amavam tanto assim? Será que eles se bastavam? Será que começariam a implicar um com o outro?

Sim, eles começaram a implicar um com o outro. De repente, aquele amor romântico sem fim foi para as cucuias. E eles começaram com picuinhas bobas. Carlo adquiriu a estanha mania de baixar filmes na madrugada. Carol resolveu que aprender espanhol através de lives no Insta. Passou a falar sozinha, com sotaque mexicano. Carlo achava aquilo superirritante. Carol não entendia por que os filmes tinham que ser baixados na madrugada, atrapalhando o sono da casa inteira.

Foi então que os dois tiveram um clique. Eles não precisavam se indispor um com o outro, que bobagem! Bastava serem respeitosos com suas próprias naturezas.

E agora, todas as tardes, assim que o sol se põe, Carlo e Carol se despedem com beijocas. Cada um se encaracola para dentro da sua concha. Dormem separados e juntinhos. Quando amanhece, voltam a se encontrar e tudo bem. O único detalhe é tomar cuidado para acordar no mesmo minuto. Porque se um fica enrolando na cama, esperando que o outro faça o café, as picuinhas começam tudo de novo.???????????

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Já nas livrarias!!!
Já nas livrarias!!!
21 de junho de 2022
Oficina de Escrita Orgânica em Holambra
Livro novo! Já nas livrarias
Livro novo! Já nas livrarias
4 de agosto de 2021
20 anos de estrada!
20 anos de estrada!
8 de junho de 2021
Casinha para degustação
Casinha para degustação
25 de maio de 2021
Avatar
Índigo em:
Oficina de Escrita Orgânica. Venham!
2022-05-25 16:01:12
Avatar
Isadora em:
Oficina de Escrita Orgânica. Venham!
2022-04-27 22:16:04
Avatar
Isadora em:
Oficina de Escrita Orgânica. Venham!
2022-04-27 22:15:49
Avatar
Índigo em:
Casinha para degustação
2021-06-09 10:00:27
Avatar
Marilda Arrivabene em:
Casinha para degustação
2021-05-31 10:09:34