Faça sua busca
  • segredosdeindigo
    @gmail.com

  • @indigo.ayer

  • @indigo_hoje

  • @indigoescritora

  • /
  • Vida
  • /
  • Contos do corpo, 41 – A consulta
Contos do corpo, 41 – A consulta
10 de novembro de 2014
843 visualizações

Contos do corpo, 41 – A consulta

O médico disse que eu não precisava me preocupar, por enquanto. Em todo caso, me recomendou umas vitaminas e disse que eu tinha feito bem em ter agendado uma consulta enquanto a coisa ainda estava no começo. Começo do fim, pensei comigo.
Ele perguntou sobre minhas atividades físicas.

– Luto Kung Fu – respondi.

Ele pareceu impressionado.

O pior é que era verdade. Eu estava na faixa verde. Ao final dos treinos, mal conseguia acreditar que continuava viva, respirando. Era sádico. A academia ficava a dois quarteirões de onde eu morava e mesmo assim tinha a impressão que teria de engatinhar para chegar em casa. Eu atingia a exaustão total. E por total, é literal. Ao final do treino, depois do último grito coletivo, eu desmoronava no chão e ficava estatelada, agradecendo por mais aquele dia de vida. Meus companheiros de treino, todos mais jovens do que eu (obviamente), eram respeitosos e passavam pelo meu corpo sem incomodar. Depois de vinte minutos, Mestre Chao desligava as luzes da academia e me dava o braço. Eu levantava e ele ajudava a descer as escadas. Daí eu rastejava até em casa, dava um jeito de entrar debaixo do chuveiro e conseguia alcançar a cama. No dia seguinte me levantava feito um raio, energizada, pronta para as batalhas mundanas.

Acrescentei:

– Treino três vezes por semana.

– Ótimo – disse o médico. – Continue assim. E a alimentação?

A alimentação, não importa o que você faça, sempre pode ser melhor. Mas a minha era razoavelmente boa. Além disso, havia a vantagem de eu não tomar remédio algum, para nada. Portanto, ele recomendou que eu fizesse exames rotineiros uma vez por ano e bebesse bastante água.
Daí ele perguntou sobre filhos.

– Não deu tempo – respondi.

Não imaginava que eu chegaria tão de repente aos quarenta anos. Fui vivendo minha vida e esqueci de que em algum momento eu teria de parar e ter filhos. Eu sabia de mulheres que engravidaram aos quarenta, mas duvido que alguma delas estivesse se preparando o exame da faixa azul. A partir da faixa azul começamos a treinar com espada. Até então eu só usava o chaco, uma arma truculenta, de gangue de rua, e que não tinha nada a ver com a minha personalidade, tanto que eu vivia metendo o chaku na testa. Num par de vezes, por pouco não quebrei o dente da frente. Mas a espada… seria sublime.

Eu já conseguia me ver rodopiando no ar, com a espada reluzente apontada para o céu, degolando pessoas e furando barrigas. Eu me via de macacão amarelo e botinha preta. Uma ninja moderna, chique e perigosa. A escolha era simples. Um bebezinho ou uma espada de samurai. Eu podia ter quarenta anos, mas meus instintos ainda eram bem brutos. Portanto, espada seria.

 

Imagem: cena do filme Kill Bill

 
  Compartilhar

2 comentários

  1. Avatar
    tatiana ferrarini

    Oi Índigo

    Ler o seu conto me deu uma ideia:
    Queria tanto hoje meter o chaco na testa de alguém kkkkkk.
    Melhor abafar o caso, mais estou pensando seriamente em ser uma ninja. Que fofinha eu seria. Índigo, vc tem o poder de me fazer ir as nuvens com seus contos. Depois pra eu voltar é um problema. Fico imaginando cada situação narrada nos contos conforme vou lendo. Ai chega um aluno ou algum telefonema, pais, professores e cá estou eu voando na imaginação. Sabe que estou até ficando mais calminha depois que comecei a ler seus contos durante o trabalho nas horinhas em que da um tempinho? Putz preciso voltar ao trabalho…..gente me chamando. Beijocas….Fuiiii

    1. Avatar

      Ok, te dou licença para trabalhar, mas volte! E traga sua turma junto. beijinho e saudades.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Já nas livrarias!!!
Já nas livrarias!!!
21 de junho de 2022
Oficina de Escrita Orgânica em Holambra
Livro novo! Já nas livrarias
Livro novo! Já nas livrarias
4 de agosto de 2021
20 anos de estrada!
20 anos de estrada!
8 de junho de 2021
Casinha para degustação
Casinha para degustação
25 de maio de 2021
Avatar
Índigo em:
Oficina de Escrita Orgânica. Venham!
2022-05-25 16:01:12
Avatar
Isadora em:
Oficina de Escrita Orgânica. Venham!
2022-04-27 22:16:04
Avatar
Isadora em:
Oficina de Escrita Orgânica. Venham!
2022-04-27 22:15:49
Avatar
Índigo em:
Casinha para degustação
2021-06-09 10:00:27
Avatar
Marilda Arrivabene em:
Casinha para degustação
2021-05-31 10:09:34